Login do usuário

Esqueceu sua senha?
Recuperar senha
Não se cadastrou?
Cadastre-se já!

Quem está online

No momento há 0 usuários e 12 visitantes online.

Buscar

Enel desiste de recursos contra Previc no caso PSAP/Eletropaulo

Do veículo "Investidor Institucional", na íntegra:

Por erro desta publicação, informamos em versão anterior desta reportagem que a empresa desistia da retirada de patrocínio do referido plano PSAP/Eletropaulo. Na verdade, o pedido de retirada de patrocínio segue internamente através de recurso da Vivest, que administra o plano e ainda aguarda julgamento. Pedimos desculpas pelos inconvenientes que nosso erro possa ter causado aos leitores.

A Enel Distribuição desistiu de entrar com novos recursos contra a Previc, acusada por ela em processo judicial de cometer “diversas ilegalidades” para atrasar a análise do pedido de retirada de patrocínio do plano PSAP/Eletropaulo, entre elas a manutenção da suspensão do processo "sem que haja fundamento para tanto". A desistência foi motivada pela decisão da autarquia, tomada em 26 de dezembro do ano passado, que através do Parecer Dilic 523 analisou e negou o pedido de retirada de patrocínio do plano, eliminando o objeto do processo. A petição informando a desistência de novos recursos contra a autarquia foi encaminhado à 6a Turma do Tribunal Regional Federal da 1a Região na última quinta-feira (21/3).
 
Para entender a questão é preciso voltar a março de 2022, quando a Enel protocolou na Previc um pedido de retirada de patrocínio do plano PSAP/Eletropaulo. Em novembro desse mesmo ano a Associação dos Aposentados da Fundação Cesp conseguiu uma liminar judicial suspendendo o processo de análise do pedido, sob a alegação de que violava obrigações assumidas pela empresa nas negociações da desestatização da Eletropaulo, ocorrido em 2018. Segundo a associação, as negociações acordadas à época obrigariam a Enel, que caiu vencedora do leilão de privatização, a manter o plano previdenciário em funcionamento.
 
Em poucas semanas, entretanto, a Enel conseguiu a cassação dessa liminar da Associação dos Aposentados e o processo voltou a andar, mas em maio do ano passado a mesma Associação protocolou idêntica denúncia na Previc pedindo novamente a suspensão do processo dessa vez à autarquia. A Previc, com o objetivo de averiguar a procedência da denúncia, informou à Enel que o processo de análise seria "suspenso temporariamente". A Enel entrou com mandato de segurança em agosto pedindo a reversão da decisão da autarquia e a imediata retomada do processo de análise.
 
O mandato foi apreciado pela Justiça de Brasília que, no final de setembro do ano passado, proferiu decisão obrigando a Previc a retomar a análise e a concluí-la num prazo de até 90 dias, que expiraria em 27 de dezembro. Em 26 de dezembro, um dia antes do prazo final, a Previc publicou o Parecer Dilic 523, negando o processo de retirada de patrocínio do plano PSAP/Eletropaulo.
 
É com referência a essa decisão da autarquia que a Enel peticionou na última quinta-feira, informando desistir de entrar com recursos contra a Previc uma vez que o pedido havia sido analisado e julgado, recebendo parecer contrário. Na petição, a Enel explica que "com o cumprimento da Decisão Liminar pela Previc por meio do Parecer 523, não há mais dúvidas a respeito da falta de interesse recursal nesse agravo de instrumento. É impossível o desfazimento do Parecer 523 e o retorno das partes ao status quo ante, de modo que a tutela jurisdicional pretendida pela Previc por meio desse recurso se tornou desnecessária e inútil".
 
A petição diz ainda que "diante do exposto, a Enel Distribuição requer que seja reconhecida a perda superveniente do objeto do presente agravo de instrumento em razão do cumprimento da Decisão Liminar pela Previc".