Login do usuário

Esqueceu sua senha?
Recuperar senha
Não se cadastrou?
Cadastre-se já!

Quem está online

No momento há 0 usuários e 19 visitantes online.

Buscar

Esclarecimentos sobre o percentual de reajuste de junho

Em função de dúvidas dos participantes sobre o índice de reajuste anual concedido em junho para os planos PPCPFL, PSAP/Eletropaulo e PSAP/Rio Paranapanema, a Vivest esclarece que:

1) Para chegar ao percentual anual de reajuste, a Vivest considera os índices de IGP-DI divulgados mensalmente pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Com base nisso, a Vivest chegou ao índice de 10,54%, referente ao IGP-DI acumulado de junho de 2021 a maio de 2022.  A FGV, por sua vez, apresentou, ao final de 12 meses, um índice ligeiramente diferente para o IGP-DI acumulado até junho: 10,56% - uma diferença de apenas 0,02 ponto percentual.
 
2) Essas mínimas variações no resultado acumulado – para mais ou para menos – já haviam ocorrido anteriormente. E, por isso, a Vivest chegou a entrar em contato, no passado, com a FGV para esclarecer a razão de os resultados não serem sempre exatamente iguais e também para se certificar de que estava utilizando a fórmula de cálculo correta, ainda que o efeito prático dessas diferenças seja mínimo. No reajuste de junho, por exemplo, a cada R$ 1 mil, a diferença é de apenas R$ 0,20.
 
3) A FGV esclareceu que, para calcular o IGP acumulado do ano e dos últimos 12 meses, utiliza números com três casas decimais e, ao final, arredonda o percentual encontrado e divulga os percentuais de variação mensal com apenas duas casas decimais. Segundo a FGV, essa redução de três para duas casas decimais “pode, apesar de raramente, gerar pequenas diferenças entre as taxas de variação publicadas e as calculadas por planilhas”.
 
4) Ocorre que, além dos índices mensais e dos resultados acumulados no ano e em 12 meses, que são os dados que a FGV divulga, a Vivest utiliza as taxas acumuladas pelo IGP-DI em outros períodos -  como, por exemplo, em quatro meses ou três meses -, pois o indexador é utilizado não apenas para reajuste de benefícios, mas também para todos os fins previstos nos regulamentos dos planos, como avaliação atuarial, correção de contribuições, entre outros cálculos - e  todos esses cálculos são feitos usando os índices mensais com duas casas decimais, porque a FGV não divulga taxas mensais com três casas decimais. Por isso, o correto é a Vivest também utilizar estes mesmos índices, de duas casas decimais, na hora de fazer o cálculo acumulado do IGP-DI para chegar ao percentual de reajuste de benefícios.
 
5) Assim, o reajuste aplicado em junho está correto e foi calculado pela acumulação dos índices oficiais da FGV, divulgados mês a mês, com o arredondamento para duas casas decimais, conforme demonstrado no quadro abaixo: