Login do usuário

Esqueceu sua senha?
Recuperar senha
Não se cadastrou?
Cadastre-se já!

Quem está online

No momento há 0 usuários e 5 visitantes online.

Buscar

Vivest dará reajuste menor nos planos de saúde
em

A Vivest definiu que seus planos de saúde destinados aos aposentados e familiares (PES, NOSSO e Extensive) terão um reajuste menor do que o aprovado inicialmente para aplicação em setembro de 2020. O aumento de 7,43% – que seria aplicado em setembro, mas foi adiado depois que a Agência Nacional de Saúde (ANS) suspendeu os reajustes de todos os planos no país por causa da crise gerada pela pandemia – foi recalculado e será agora de 6,27%. Esse novo cálculo que acarretou a redução do reajuste levou em consideração não apenas o novo período de aplicação, mas também a economia causada pela baixa utilização dos planos durante os meses de confinamento. O reajuste será aplicado apenas a partir de janeiro do ano que vem (com pagamento realizado no final de dezembro).  
 
Além disso, apesar de a ANS já ter autorizado a retomada dos reajustes a partir de janeiro, inclusive com cobranças parceladas retroativas ao período em que foi adiado, a Vivest decidiu que anulará definitivamente qualquer reajuste referente ao ano de 2020. Ou seja, não haverá cobranças retroativas aos meses suspensos. Todas essas medidas representarão, ao longo de 2021, uma economia de aproximadamente 10% para os beneficiários.
 
"No período de quarentena, tivemos uma redução significativa na quantidade de exames e consultas. Além disso, muitos tratamentos em série, como fisioterapias, deixaram e deixarão de ocorrer nos próximos meses. Fizemos uma análise de todo esse movimento, que possibilitou uma economia de cerca de R$ 11 milhões no plano, e decidimos reverter isso em prol dos nossos beneficiários, além de anular qualquer reajuste este ano, inclusive o retroativo ao período suspenso, e reduzindo o reajuste do ano que vem – explica Luciana Dalcanale, diretora de Previdência e Saúde da Vivest.
 
Ela reforça ainda que esse tipo de medida só é possível em uma autogestão de planos de saúde, como a que a Vivest tem. "Em outras operadoras do mercado, que não atuam como autogestão, essa economia é naturalmente revertida em lucro para os acionistas. Como nossa organização faz a autogestão do plano de saúde e não prevê lucro, conseguimos ter essa flexibilidade para garantir uma situação mais favorável aos nossos beneficiários, principalmente neste momento delicado de crise decorrente da pandemia, o que tem sido um compromisso nosso com todos", acrescenta.
 
Mudança de data-base de reajuste – Além do índice de reajuste menor e de anular qualquer aumento de 2020, a Vivest também está mudando a data-base do reajuste do plano de saúde pré-pago, de maneira definitiva, para janeiro. "Os aposentados recebem reajuste em seus benefícios em janeiro e julho, enquanto os planos de saúde eram reajustados em setembro. Para evitar este descasamento, aproveitamos as mudanças para definir também uma nova data-base de reajuste para os planos de saúde, que será sempre em janeiro, a partir de agora. Entendemos que assim a situação fica também mais confortável para os nossos beneficiários", explica.
 
 
Entenda o que muda:
 
  • Mesmo com a autorização da ANS, a Vivest não fará nenhum reajuste referente ao ano de 2020.
  • O reajuste nos planos pré-pagos será menor: em vez de 7,43%, será de 6,27%.
  • O reajuste de 6,27% só incidirá a partir das mensalidades de janeiro de 2021 (pagas em dezembro de 2020, seja via desconto em folha ou boleto). Depois desse aumento, só haverá novo reajuste em janeiro de 2022 (com pagamento em dezembro de 2021).
  • Os reajustes passarão a ser feitos sempre no mês de janeiro, a partir de agora.
  • No total, as medidas vão representar uma economia de cerca de 10% para os beneficiários.